Sumário

Quer se tornar sócio de grandes empresas? Neste e-book, vamos explicar o que você precisa saber para investir em ações, o que são, suas vantagens e como investir.

É ideal para quem busca maiores retornos para a carteira, seja no curto, seja no longo prazo, e tem maior tolerância a riscos. Além disso, você pode investir em diferentes empresas e setores do mercado, diversificando ainda mais a sua carteira. 


Comece agora a investir no seu futuro! E lembre-se: conhecimento e informação são peças-chave que devem ser acumuladas, assim como o nosso patrimônio.

Boa leitura!

Aprenda a
investir em ações

Reconhecendo um leque de oportunidades

Renda variável Vs. Renda fixa

Mas, afinal, o que são ações?

Motivos para investir em ações

01020304

Reconhecendo um leque de oportunidades

Capítulo 01

Muitas empresas conhecidas do grande público estão presentes no mercado de ações. Um olhar mais apurado no dia a dia de qualquer pessoa pode revelar um leque de oportunidades para investir na Bolsa de Valores. 

Pode ser que a construtora do seu prédio seja uma empresa de capital aberto com ações disponíveis para negociação. O mesmo pode acontecer com a concessionária de energia da sua cidade. Você já
reparou quantos postos da Petrobras existem no trajeto da sua casa para o trabalho? Será que você se lembra da última vez que adquiriu um produto nas Lojas Americanas, no Magazine Luiza, nas lojas Renner ou na Hering? Ou quando fez uma compra no supermercado Carrefour? Na sua viagem de avião mais recente, você voou pela Azul ou pela Gol? 


Estes são apenas alguns nomes de uma vasta lista de empresas que negociam ações na Bolsa, as chamadas companhias listadas ou de capital aberto.

Pode ser que, até este momento, você não se deu conta de que pode se tornar sócio das marcas que está acostumado a consumir. Pois quando ocorre uma oferta inicial essas empresas comercializam percentuais de ações do seu negócio na Bolsa de Valores para investidores anônimos se tornarem sócios.

voltar para o sumário

Como se tornar um

Agente Autônomo
de Investimentos

Guia definitivo para sair da poupança

Atuação de um Agente Autônomo de Investimentos

Capítulo 02

Renda variável Vs. Renda fixa

voltar para o sumário

Como se tornar um Agente Autônomo de Investimentos?

Antes de abordarmos como funciona o mercado de ações, é importante destacar as peculiaridades do investimento em renda variável. 

Quem decidir realizar investimentos irá encontrar duas possibilidades: as aplicações de renda fixa e as de renda variável. A primeira categoria, como o próprio nome já diz, possui rentabilidade predefinida. Nela estão incluídas modalidades mais populares, como o Certificado de Depósito Bancário (CDB) e os títulos públicos do Tesouro Direto.

Já as operações de renda variável apresentam maior oscilação, logo, a rentabilidade é imprevisível no momento da aplicação do dinheiro. Exatamente por apresentarem maior risco, o ganho para o investidor
pode chegar a valores bem mais altos com a renda variável. 


Além de maior rentabilidade, a aplicação em renda variável garante mais opções ao investidor se comparada com os títulos de renda fixa. Isto porque a variedade de empresas de diferentes setores que negociam ações é muito grande e, também, por haver vários outros ativos de maior complexidade. 


Mas, dentro da renda variável, o investimento em ações é uma das modalidades mais tradicionais e conhecidas do mercado financeiro. Dar os primeiros passos para virar um acionista, mesmo que pequeno e investindo pouco dinheiro, é importantíssimo para entender que investir é um aprendizado diário e uma forma de valorizar seu dinheiro.

voltar para o sumário

Capítulo 03

Mas, afinal, o que são ações?

Quais os custos de um AAI?

voltar para o sumário

Capítulo 04

Motivos para investir em ações

Um dos principais motivos para começar a investir em qualquer tipo de aplicação é garantir que o dinheiro economizado não fique apenas guardado, afinal, dinheiro “parado” não rende. Mas por que escolher ações como forma de investimento? 

A primeira vantagem desse tipo de operação é o fato de ser acessível e estar ao alcance de qualquer pessoa. Isso mesmo! Esqueça aquela ideia de que Bolsa de Valores é coisa para multimilionários. Qualquer pessoa pode investir. E vale lembrar; não é preciso muito dinheiro para começar.
 
Sabe aquela imagem estereotipada de homens de terno gritando ao telefone negociando na Bolsa de Valores? Liberte-se dela também! A negociação pode ser feita de forma muito mais simples e tranquila. Para
se ter ideia, é possível comprar e vender ações sem sair de casa. O sistema Home Broker das corretoras e dos bancos, que têm conexão com os ativos da Bolsa, permite que o investidor faça as transações por meio do site ou aplicativo da instituição contratada.


Como já citamos neste e-book, o potencial de rentabilidade, sobretudo no longo prazo, é um dos principais atrativos. Além de contar com o recebimento dos dividendos periodicamente, é possível vender as ações por valores bem mais altos do que quando foram compradas.

O que é “rebate” e como funciona a remuneração?

eBook online

Ícone e-book online Aprenda a investir em ações
Luciano Faustino Linkedin
Luciano Faustino

CMO da Genial Investimentos

Ícone Linkedin Luciano Faustino

CMO da Genial Investimentos

Venha ser Genial. Abra sua conta.
É simples, rápido e grátis.

Venha ser Genial. 
Abra sua conta.
É simples, rápido e grátis.

Logotipo Genial Investimentos

Ação é a menor parte de uma empresa. De posse de uma ou mais ações, você se torna sócio do negócio, ou seja, um acionista. Na definição da Bolsa, “ações são títulos de propriedade que conferem a
seus detentores (investidores) a participação na sociedade da empresa”.


Apenas empresas de capital aberto podem negociar ações publicamente. No site da B3, a Bolsa de Valores oficial do Brasil, é possível consultar quais são elas. 


As ações podem ser ordinárias - que dão direito ao sócio de votar em assembleia de acionistas - ou preferenciais, que, como o nome sugere,
têm preferência no recebimento de dividendos (parcelas de lucros pagas aos acionistas conforme estabelecido no estatuto da empresa) com valores que podem ou não ser superiores em comparação às ações ordinárias.

Além da compra de ações, existem outros tipos de aplicação em renda variável. Conheça um pouco mais sobre cada um deles:

voltar para o sumário

Capítulo 05

Sobre a liquidez

Para começar, vamos explicar o que é a liquidez de um investimento. O termo se refere à capacidade de transformar um ativo (bem ou investimento) em dinheiro. Diferente da rentabilidade, que significa quanto o seu dinheiro pode render com aquela operação, a liquidez está relacionada à facilidade de resgatar a quantia. Quanto mais rápido, maior a liquidez. 

No caso do investimento na Bolsa de Valores, a liquidez é a capacidade de resgatar em espécie o valor de uma ação. Em geral, a liquidez das ações costuma ser alta. No entanto, é sabido que, como qualquer outro investimento, há riscos. Isto pode significar, por exemplo, não conseguir vender seus ativos caso a empresa seja pouco negociada na Bolsa. 


É por isso que é sempre recomendável estar atento às informações de mercado e ao contexto econômico, como iremos detalhar mais adiante.

Capítulo 06

Como investir em ações

voltar para o sumário

Agora que você sabe que investir na Bolsa de Valores não é um bicho de sete cabeças, mas muito pelo contrário, pode ser um excelente negócio, deve estar se perguntando “por onde eu começo?”. 

O primeiro passo é abrir uma conta em uma corretora, que é a instituição responsável por realizar a intermediação dos negócios na Bolsa de Valores. Para fazer a escolha, reserve um tempo para pesquisar.

É importante avaliar preços das taxas que serão cobradas, o atendimento, as ferramentas e os serviços prestados. É uma tarefa simples, mas que requer atenção e cuidado, afinal, a empresa irá auxiliá-lo(a) em operações financeiras. Na Genial Investimentos, por exemplo, você tem assessoria gratuita em ações e análises em tempo real de grandes especialistas do mercado.


Uma vez escolhida a empresa, você irá transferir dinheiro da sua conta bancária para a conta na corretora e, assim, poderá iniciar seus investimentos. A transferência pode ser feita por DOC ou TED. Assim que o valor estiver disponível, você poderá começar a comprar e investir em ações. 

Novamente, destacamos a importância de pesquisar as condições de mercado e buscar informações sobre o cenário econômico para poder planejar melhor seus investimentos. Não é preciso ser um profissional do mercado financeiro para investir na Bolsa, mas é prudente estar ambientado para fazer as melhores escolhas.

05

Sobre a liquidez

06

Como investir em ações

É uma aplicação financeira feita por um grupo de pessoas que deseja investir em ações. Para a criação do clube é preciso contar com um administrador, que deve ser uma corretora de valores, uma distribuidora de títulos ou um banco. O grupo de investidores precisa ser entre 3 e 50 pessoas;

Os Exchange Traded Funds (ETFs). Consiste em um fundo de investimento em ações passivo que replica um índice. Suas cotas são negociáveis em Bolsa, como se fossem ações;

Facebook Genial Investimentos
Twitter Genial Investimentos
Instagram Genial Investimentos
YouTube Genial Investimentos
LinkedIn Genial Investimentos

Siga a gente nas redes sociais!

Facebook Genial Investimentos
App da Genial na Google Play

Baixe o nosso aplicativo

App da Genial na App Store

Fale com a gente

CENTRAL DE ATENDIMENTO
Logo Genial Investimentos
Autorregulamentação ANBIMA
Certificação B3

Acesse o disclaimer.
GENIAL INVESTIMENTOS CORRETORA DE VALORES MOBILIÁRIOS S.A.
CNPJ: 27.652.684/0001-62
www.genialinvestimentos.com.br

2020 Genial

Acesse o disclaimer.
GENIAL INVESTIMENTOS CORRETORA DE VALORES MOBILIÁRIOS S.A.
CNPJ: 27.652.684/0001-62
www.genialinvestimentos.com.br

2020 Genial

É um tipo de fundo de investimento no qual um gestor escolhe qual será o seu portfólio de ações e possibilita que investidores não precisem escolher uma empresa para aplicação do dinheiro; 

As informações sobre aplicações em renda variável são vastas, mas a prática é bem mais simples do que parece. Para quem pretende começar a investir em renda variável, a compra de ações de empresas de capital aberto se mostra uma das melhores opções, visto que o processo de aquisição é similar ao sistema de compra e venda conhecido por todos nós. 

Desta forma, não é preciso ser um profissional do mercado financeiro para realizar esse tipo de investimento. Além disso, por oferecer uma expectativa de maior rentabilidade, trata-se de uma boa oportunidade de ganhar dinheiro e construir patrimônio no longo prazo.

Esta é uma das perguntas mais comuns feitas entre as pessoas que têm interesse em investir na Bolsa de Valores. Não existe valor mínimo para investir em ações. É por isso que essa operação é considerada acessível, ao alcance de qualquer pessoa.

Há empresas que negociam seus ativos por preços muito baixos. Neste caso, é necessário que você avalie se vale a pena adquirir os ativos e quais são as reais chances de obter rentabilidade com o passar do tempo. 

Outro detalhe que merece atenção do futuro investidor refere-se aos custos que serão cobrados pelo plano da corretora. Existem duas modalidades de cobrança: a corretagem fixa, que você paga o mesmo valor por ordem executada, seja ela de compra ou venda, e a corretagem variável, na qual o custo de transação está relacionado ao valor investido. 

Algumas corretoras também cobram a chamada taxa de custódia, que consiste em um pequeno valor mensal para cobrir os custos da Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC). Boa parte das corretoras, como a Genial Investimentos, isenta o investidor dessa cobrança caso haja uma mínima movimentação da conta.

Além de avaliar a renda disponível, é necessário entender qual é o seu perfil enquanto investidor. Isto é possível de ser feito mesmo que você não tenha investido até agora. Para traçar seu perfil, a orientação é analisar o quanto de risco se está disposto a correr numa aplicação, assim como o quanto se espera de rentabilidade. A “disposição” para correr riscos requer uma análise detalhada sobre os objetivos essoais, a estrutura familiar e o momento em que se vive.


Em linhas gerais, o perfil de investidor conservador é aquele que rioriza a segurança e a liquidez em relação à rentabilidade. Neste caso, a preferência é por aplicações em renda fixa. Raramente, pode ser que esse investidor venha a optar por investir em renda variável. Caso faça essa escolha, a preferência é pela Bolsa de Valores. 


Outro perfil de investidor é o moderado. É a pessoa que gosta da segurança dos investimentos de renda fixa, mas está disposta a se arriscar um pouco mais para conseguir aumentar a rentabilidade.
Esse investidor, no entanto, não quer correr riscos expressivos. Para ele, é indicado participar da Bolsa de Valores de forma menos arriscada, investindo em empresas de qualidade, que podem até ter menor expectativa de valorização, mas, ao mesmo tempo, são consideradas mais seguras, ou aplicar em fundos de investimento em ações, onde o dinheiro é gerido por especialistas no mercado de capitais.


Por fim, há o perfil do investidor agressivo. Ele tem disposição para correr riscos, compreende que eles estão diretamente ligados à rentabilidade da operação e busca o retorno máximo. Para esse tipo de investidor, praticamente todos os tipos de aplicações em renda variável são atrativos. 


O detalhamento dos perfis reitera a ideia de que o investimento em ações é acessível a todos. Até mesmo os investidores mais conservadores, quando quiserem aumentar a rentabilidade, podem buscar esse mercado como alternativa.

Antes de decidir entrar no mercado de ações é essencial que o investidor compreenda o ambiente em que irá ingressar, além de conhecer as expressões e termos que são utilizados no meio. Para isso, iremos compilar essas informações para você. 


Você já viu neste e-book que muitas empresas conhecidas estão no mercado de ações. Para integrar essa seleta lista, elas se tornaram empresas de capital aberto e passaram a negociar suas ações publicamente.

Para as empresas, a abertura de capital é um diferencial competitivo, já que há uma maior exigência de transparência e confiabilidade nas
informações prestadas. Em relação à gestão interna e à governança corporativa, a abertura de capital também representa soluções para
estratégias empresariais e processos de sucessão. Outra vantagem que a abertura de capital confere aos negócios é a ampliação dos investimentos financeiros a partir da venda de ações.


Em resumo, o mercado de capitais é um sistema criado para facilitar a capitalização das empresas, contribuindo para a geração de riqueza. Para os investidores, independentemente do porte ou dos objetivos, a compra de ações significa a oportunidade de ganhar dinheiro.

É neste contexto que foram idealizadas as chamadas Bolsas de Valores, que têm o papel fundamental de criar, organizar e regular os mercados onde as ações emitidas podem ser negociadas com confiabilidade e transparência. 


O conjunto das ações de maior tamanho e mais negociadas numa Bolsa de Valores é chamado de Blue Chips. Constituem-se em ações de companhias de grande porte com alta liquidez no mercado.

A oscilação da Bolsa de Valores, isto é, quando falamos que ela fechou em alta ou em queda, se refere ao seu índice. No caso da B3, o índice é denominado Ibovespa, que em definição simples é uma média ponderada de preços de ações selecionadas por um critério de negociabilidade (liquidez).
 
O que faz com que esses preços subam ou entrem em queda é a variação de preços de cada uma das ações que fazem parte do índice. Basicamente, e a grosso modo, quando as ações de uma empresa despertam o interesse de muitos compradores (investidores), elas ficam mais caras. Quando o interesse diminui, as ações se desvalorizam. 


Alguns fatores contribuem para que ocorra essa variação de preços: o cenário econômico, os acontecimentos internacionais e até mesmo as
informações repassadas pelas empresas sobre lucratividade afetam diretamente as ações, podendo valorizá-las ou não.

Outros tipos de aplicação para iniciantes

Clubes de investimento

ETF

Fundos de ações

De quanto eu preciso para começar a investir?

Perfil do investidor

Compreendendo o mercado de ações

Fatores que contribuem para a oscilação da Bolsa